close
NotíciasPlaystation 4

Assédio virtual em VR? | Dead or Alive Xtreme 3

Dead or Alive Xtreme 3 logo

Dead Or Alive é uma série de jogos que surgiu em meados da década de 1990 fazendo frente a Virtua Fighter e Tekken, até então os grandes nomes dos games de luta 3D. O ritmo ágil dos combates agradou os jogadores, mas outro grande chamariz era o charme das combatentes femininas. Dead Or Alive também inovou ao utilizar um curioso sistema de física nos seios das personagens, que se moviam de acordo com o movimento que executavam.

O tempo passou, os gráficos ficaram melhores e a desenvolvedora Tecmo, criou uma série paralela: Dead Or Alive Xtreme Beach Volleyball, um tipo de party game, onde as lutadoras ficavam de biquíni participando de uma série de mini games, isso ainda no Xbox Original no ano de 2003. Pulando para 2016, com a chegada do óculos de realidade virtual da Sony, a desenvolvedora, hoje Koei Tecmo, está prestes a lançar um upgrade para o último lançamento da série, Dead or Alive Xtreme 3, onde os jogadores podem interagir com as garotas de maneiras diferentes. Aí entra o problema.

Um pequeno vídeo capturado pelo pessoal da Gamer.ne.jp mostra um jogador contemplando uma garota de biquíni – ela parece não ver problema em ser estudada de todos os lados enquanto está na praia. Dado momento, o jogador importuna a garota em uma clara situação de assédio. O seu corpo é cutucado e ela diz em japonês “eu não gosto disso”, mas o jogador continua, a personagem se recolhe e o jogo segue nesse ritmo.

Dead or Alive Xtreme 3 não será publicada no ocidente, no que a produtora disse antes do lançamento no Japão:

Continuamos focados em entregar o melhor no entretenimento de combate para os nossos fãs ao redor do mundo, enquanto que conscientemente respeitando e elaborando estratégias para as diferentes audiências globais da franquia Dead or Alive.

Dead or Alive Xtreme 3 continua em desenvolvimento e ainda está previsto para lançamento em apenas Japão e Ásia.

Dead or Alive Xtreme 3

Cresce no ocidente uma visão mais igualitária do público feminino quando o assunto são jogos eletrônicos. Uma pesquisa de 2014 mostra que 52% dos gamers são mulheres – e a indústria está trabalhando em cima dessa informação. Enquanto homens estão mais focados em Call of Duty, as garotas preferem jogos de estratégia e quebra-cabeça (não que garotas não joguem COD).

Dead or Alive Xtreme 3 apenas mostra uma diferença cultural que existem entre públicos. Enquanto na Ásia não há problema com esse tipo de game, o público ocidental já pensa diferente. Nesse caso específico, o pensamento deveria ser universal: a questão do assédio.

Jogos são formados por interação, regras e milhares de triângulos virtuais formando figuras que se movem e falam. Mas esses polígonos em especial formam uma mulher logo ali diante dos jogadores, e essa mulher está dizendo “não”.

Para você ter uma ideia:

Para mais informações sobre games e tudo o mais, fique ligado nas nossas páginas do Twitter e Facebook.

Tags : Dead or Alivegames
Thomaz Maioline

O autor Thomaz Maioline

Leitor de ficção cinetífica, hi-tech afficionado, fã de Seinfeld. Fanático com música, livros e quadrinhos. Caçador de barganhas.