close
Ciência e Tech

NASA prepara a instalação de um módulo expansível na ISS

A NASA marcou para essa quinta-feira, 6:30 da manhã no horário de Brasília, o primeiro teste de um módulo expansível, tambem entendido como “compartimento inflável” na Estação Espacial Internacional – mais detalhes sobre isso abaixo. Esse módulo passará por um período de dois anos de testes, onde serão analisados uma série de fatores antes da sua adoção em missões espaciais.

Mais fácil de ser transportado, o BEAM (siga para Módulo de Atividade Expansível Bigelow) faz parte de uma nova categoria de equipamentos que poderão ser usados não apenas em estações espaciais, mas em missões ao espaço profundo, como a tão esperada missão Marte. Aproveitando a chegada do dia da instalação, NASA e Bigelow abriram um espaço para perguntas e respostas, o que explicou muito sobre como o módulo funciona.

Para começar, disseram que “o BEAM não é inflável”, pois suas paredes não se esticam como a de um balão. São muito firmes e “muitas vezes mais forte por peso do que metais normalmente usados em aplicações espaciais”. Dessa forma, ele pode ser descrito como um módulo “desdobrável” do que simplesmente “inflável”. Além disso, o equipamento possui uma fina camada de materiais semelhantes ao Kevlar que atuam como escudo contra detritos espaciais. Um micrometeorito pode se chocar com o módulo, mas fica preso em toda aquela camada de proteção sem penetrar na estrutura central. Testes foram feitos na Terra, chocando contra o BEAM projeteis voado a velocidades de 7 quilômetros por segundo. “Esse é escudo é forte, se não melhor do que o utilizado atualmente”.

Esse período de dois anos servirá para coletar informação sobre radiação, impactos termais e de micrometeoros. Se o módulo se mostrar eficiente como esperado, habitats maiores poderão ser utilizados em Marte na próxima década (dedos cruzados para que consigam!) ou espaços de convivência em missões futuras no espaço profundo (você pode ver o B330 na galeria abaixo).

A NASA TV vai transmitir o desdobramento do primeiro BEAM ao vivo, um procedimento que deve durar duas horas. Se você puder, assista.

Quer ficar ligado em notícias da NASA, espaço e tudo o mais? Fique ligado no Rota42.

Tags : B330BEAMISSMarteNASA
Thomaz Maioline

O autor Thomaz Maioline

Leitor de ficção cinetífica, hi-tech afficionado, fã de Seinfeld. Fanático com música, livros e quadrinhos. Caçador de barganhas.