close

Idolatrado por usuários e amaldiçoado pela indústria fonográfica, o MP3 está oficialmente morto. Quem deu a notícia foi o The Fraunhofer Institute for Integrated Circuits, instituição que criou o formato (e começou a desenvolve-lo na década de 1980). De forma oficial, a notícia significa que eles não vão mais licenciar patentes do formato MP3, limitando o seu uso. O motivo? Estamos em 2017 e existem maneiras mais eficientes de compartilhar e armazenar música.

É triste, mas você não precisa se preocupar. O pessoal da Fraunhofer informou que outro formato, o AAC (Advanced Audio Coding) já se tornou o grande formato para músicas, vídeos e smartphones. Ele pode fazer melhor que o MP3, com mais qualidade e utilizando menos recursos. Sim, certamente você já usa ele no seu dia a dia e nem sabia.

Para quem não se lembra, MP3 revolucionou a forma como as pessoas ouviam música no final da década de 1990 e início dos anos 2000, graças a capacidade de o usuário converter um CD de música em casa e compartilha-lo online em redes como Napster, AudioGalaxy e Kazaa. O segredo do formato era simplesmente comprimir o arquivo de áudio em algo próximo a 10% do seu tamanho original, obviamente retirando parte da qualidade sonora final. Porém, para a grande maioria das pessoas, mal dava para notar a diferença.

Ipod familia MP3

Apesar de todas as críticas da indústria para o formato, é preciso reconhecer que sem ele não teríamos o mercado de hoje. O MP3 obrigou as gravadoras a pensarem fora da caixa, a aceitarem que a internet era, de fato, uma grande aliada. A Apple foi a primeira a perceber que o problema não era o formato, mas sim o nascimento de uma nova forma das pessoas consumirem suas músicas. Elas queriam ter acesso a música de uma forma mais fácil, só isso. Ir até uma loja comprar um álbum se o indivíduo queria ouvir apenas uma canção (o single do momento) não era mais aceitável. O iTunes e o iPod nasceram aqui. Posteriormente, outros serviços foram surgindo e hoje vivemos uma realidade com Apple Music, Spotify, Tidal e vários outros.

O que nos resta agora é nos despedir e, porque não, sermos todos gratos ao MP3. Mesmo longe de ser uma unanimidade, foi o gatilho para uma grande mudança tecnológica e até mesmo cultural. E você? Teve grandes momentos com o formato? Utilizou programas de compartilhamento para conseguir aquela música favorita?

Para mais informações sobre tecnologia e tudo o mais, fique ligado no Rota42.

Tags : AppleApple MusicaiPodiTunesMP3SpotifyTidal
Thomaz Maioline

O autor Thomaz Maioline

Leitor de ficção cinetífica, hi-tech afficionado, fã de Seinfeld. Fanático com música, livros e quadrinhos. Caçador de barganhas.