close
Ciência e Tech

Rosetta: Compostos orgânicos priomordiais a vida encontrados em cometa

Você se lembra da sonda Rosetta? Ela foi enviada pela ESA (Agencia Espacial Europeia) até um comenta – em um dos projetos mais ambiciosos da nossa ciência. Mesmo com poucos recursos devido ao fato de ter aterrissado em uma sombra (o que impede a captação de luz solar e por consequência o seu funcionamento integral), ela acaba de enviar informações importantíssimas sobre compostos orgânicos na superfície do cometa.

Glicina, um aminoácido conhecido como um dos mais importantes “blocos de construção fundamentais da vida” foi encontrado na superfície do cometa 67P Churyumov-Gerasimenkp – sim, aquele mesmo em formato de pato de borracha. O curioso é que a ESA já havia detectado a Glicina enquanto manobrava próximo a cauda do cometa – e a NASA também em outros cometas, mas analises foram comprometidas por contaminação das amostras. Ou seja: essa é a primeira prova concreta que a substancia foi encontrada em um cometa.

Kathrin Altwegg, um dos autores de um novo artigo para o jornal Science Advances esclarece que “tendo encontrado Glicina em mais de um cometa mostra que amino ácidos são comuns próximo de regiões do universo onde estrelas são criadas, e que a substancia pode ter chegado a Terra carregada por um cometa ou outro objetivo celeste”.

Quando lembramos que cometas são, muitas vezes, “restos” do surgimento de um sistema solar, é interessante encontrar provas que elementos chave para a vida podem ter surgido na mesma ocasião. Com a base da vida voando por todos os cantos do universo, fica difícil de acreditar que ela é algo restrito ao nosso planeta azul.

Para mais novidades sobre a origem da vida e tudo o mais, fique ligado no Rota42.

Tags : ESAGlicinaNASASonda RosettaVida fora da Terra
Thomaz Maioline

O autor Thomaz Maioline

Leitor de ficção cinetífica, hi-tech afficionado, fã de Seinfeld. Fanático com música, livros e quadrinhos. Caçador de barganhas.