close
Cinema e TVReview

Westworld | Ep. 03 – Alice no velho oeste

Como eu gosto quando as séries fazem uso de referências literárias para contar uma história, este é sem dúvida o ponto forte do terceiro episódio de Westworld.

Opa, espera, você ainda não sabe nada sobre a série? Da uma olhada então neste post aqui que fizemos sobre os dois primeiros episódios! Se já conhece, tome cuidado com os spoilers existentes neste post caso ainda não tenha visto o terceiro episódio.

Através do Espelho

Dolores Espelho WesWorld

Logo de cara já podemos entender mais sobre os misteriosos encontros entre Bernard (Jeffrey Wright) e Dolores, o primeiro procura testar a host do parque com uma passagem da clássica história Alice no País das Maravilhas.

O trecho é uma sacada excelente dos escritores, colocando Dolores no papel da personagem Alice, Bernard testa a androide para tentar avaliar o estado dela com relação aos problemas encontrados nos outros hosts até então.

Esta “sacada” de usar a história de Lewis Carroll como ponto de partida para um personagem questionar a realidade a sua volta não é nova, foi usada em Matrix por exemplo, mas aqui os autores demonstram bom gosto ao usar esta referência, pois diferente de situações anteriores temos uma personagem feminina no centro da narrativa, como na história original.

Ao longo do episódio vemos que o próprio Bernard também tem uma “agenda” pessoal nesses encontros, estaria ele tentando achar uma maneira de “recriar” o seu filho morto ao testar se os androides realmente podem despertar consciência?

De qualquer forma, o melhor do encontro entre o chefe do departamento de programação do parque e a host fica para o fim do episódio. Bernard questiona Dolores sobre o que fazer com ela e com esses encontros,  a personagem então demonstra claramente a capacidade de questionar a sua realidade, levantando a pergunta se ela já não faz isso há mais tempo e vem mentindo para a equipe.

Algumas respostas e o dobro de perguntas.

westworld ford e bernard

Fomos introduzidos a mais uma peça do quebra-cabeças no terceiro episódio de Westworld. O Dr. Robert Ford, que aliás vem sendo interpretado de maneira bem competente por Anthony Hopkins, nos conta sobre Arnold, seu antigo sócio que foi “apagado” da história da empresa e como ele queria criar uma consciência de verdade nos androides.

O que foi o acidente que “matou” Arnold? Seria o antigo fundador do responsável por alguns eventos do parque? Esta inclusive é uma possibilidade real mostrada no episódio.

Na sequencia envolvendo o androide que quebrou o seu loop se perdendo no parque, os personagens Ashley Stubbs (Luke Hemsworth) e Elsie Hughes (Shannon Woodward) presenciam o robô em questão destruir deliberadamente a sua cabeça com uma pedra com o intuito de evitar qualquer possibilidade diagnóstico por parte dos profissionais do parque.

Enquanto isso, em mais um loop onde Dolores novamente seria violentada após um assalto na sua casa, ela se depara com o agressor segurando a arma encontrada por ela no último episódio, porém só é capaz de atirar após uma voz misteriosa voz na sua cabeça dizendo: “Mate-o”.

dolores-arma-celeiro

Outro ponto de interrogação é um dos pontos altos do terceiro episódio de Westworld: a nova narrativa misteriosa criada pelo Dr. Ford.

Ela tem como ponto de partida o passado de Teddy (James Marsden, X-MEN) e um misterioso vilão chamado Wyatt e seus comparsas que parecem não morrer com os tiros tomados.

narrativa-teddy-westworld

Por fim, vemos mais uma vez o encontro do visitante William com a host Dolores após esta fugir da cena em sua casa. Parece que desta vez William deverá ser puxado de vez para dentro dos acontecimentos estranhos no parque já que Dolores aparentemente interrompeu a sua narrativa ao matar o seu agressor.

A espera de mais….respostas

Foi um ótimo episódio pois podemos ver a trama ganhando corpo e mais perguntas surgirem sobre os eventos no parque temático. Eu particularmente não consigo parar de pensar nas possibilidades envolvendo esta nova narrativa criada pelo Dr. Ford, esta poderia muito bem ser uma resposta aos androides estarem recuperando as suas memórias, evento que deve estar relacionado de alguma forma com a teoria da consciência criada pelo seu antigo sócio.

E qual será o papel de William agora que encontrou Dolores após o fatídico evento na sua casa? Será que desta vez Teddy, o eterno amor da host, irá perder de vez o posto no coração da moça?

dolores-e-william

E quem estaria por traz dos androides criando consciência? Será que é somente um erro de programação?

Bom, já vimos em outras séries uma narrativa que levantou tantas perguntas e depois teve dificuldades em responde-las, deixando muito a desejar no desenrolar e fechamento de sua trama (sim, estou falando de você Lost). Tudo bem que este é só o terceiro episódio de Westworld, mas tendo J. J. Abrams novamente como produtor em uma série de ficção científica não tem como não fazer este paralelo.

Seja como for, por hora, já estou ansioso pelo próximo. E você? Acompanha Westworld? O que tem achado da série?

Para mais informações e críticas de episódios da série, fique ligado no Rota42 no Facebook e Twitter!

Tags : Episódio 3HBOWestworld
Tony "Gago" Borges

O autor Tony "Gago" Borges

Amante de tecnologia, leitor de quadrinhos, gamer razoável e compulsivo por séries nas horas vagas.